quarta-feira, 9 de julho de 2014

Depois do Jogo - Conto Online (Entre Garotos)

DEPOIS DO JOGO

Por Willians89


Era um fim de tarde nublado naquela cidadezinha no litoral de São Paulo. Não apenas ali, mas no país inteiro as pessoas estavam ligadas na frente da televisão para assistir a semifinal da copa do mundo, onde a seleção brasileira poderia ou não passar pela Alemanha e disputar a final no domingo seguinte.

Porém, o jogo estava sendo uma perfeita catástrofe. Em um apartamento na praia daquela cidade, Victor e Mateus estavam sozinhos na sala. Embora a TV estivesse ligada no jogo, apenas Mateus estava assistindo. Victor estava com seu notebook no colo, vendo outras coisas.

-Não consigo mais ver – Comentou Mateus irritado no sofá.

Ele gostava muito de futebol. Estava usando uma camisa amarela da seleção, e um samba-canção que colocara de manhã e não tinha tirado ainda. Já o Victor, não ligava pra futebol e até estava se divertindo com a derrota do time. O que irritava demais o namorado Mateus.

-Que humilhação – Falou Mateus. E então, na televisão, mais uma vez – CARALHO, SEIS!

-Para de ver isso. Vai acabar uns dez a zero. Bem feito, que mandou investirem dinheiro nessa copa.

Mateus ficou calado. O jogo já estava terminando, mas de vez em quando Mateus fazia uns comentários. Em certos jogos de futebol ele ficava muito revoltado.

-Eu me masturbando bato melhor que esse idiota! – Comentou ele, apontando para um dos jogadores brasileiros em campo. Victor nem lembrava o nome...

Por fim o jogo acabou e a rua estava no mais profundo silêncio. Mateus tratou logo de trocar de canal.

-Ainda bem que a gente não foi com o Leonardo – Falou Mateus – Pra ver essa vergonha, foi bom nem ter saído de casa.

-Verdade. Ainda bem que acabou.

Mateus se levantou, foi a até o banheiro e voltou. Se sentou no sofá do seu jeito desleixado – com as pernas abertas e a coluna toda torta - e ficou pensativo por um tempo. Victor estava se divertindo vendo os posts de zoação sobre o jogo que aparecia nas suas redes sociais. Alguns ele até mostrou para Mateus, que deu umas risadas.

-Que vergonha meu – Falava ele – Ainda não acredito que isso aconteceu...

-Olha esse...

Os dois ficaram rindo por um bom tempo. Já estava escuro e todas as luzes do apartamento estavam apagadas, e a única iluminação vinha da televisão, sintonizada num canal de séries.

-Quer saber, foda-se. Jogou mal pra caralho, tinha que tomar sete mesmo – Comentou Mateus.

-Eai, você tá irritado demais pra fazer uma coisa?

-Que coisa?

-Você sabe... Você me disse que depois do jogo faria.

-Ah... Não, tudo bem. Sem problemas. Vem cá.

Victor sorriu, largou o notebook e se sentou ao lado de Mateus. O garoto estava com as pernas apoiadas na mesinha de centro, e o samba-canção preto estava levantado mostrando suas coxas grossas e com alguns pelinhos.

Mateus e Victor se beijaram, enquanto a mão de Victor percorria as pernas do namorado. 
Victor abaixou os lábios, começando a dar chupões no pescoço do moreno, desde seu pomo de Adão até as bochechas, sentindo a barba ralinha de Mateus. Ela sempre crescia rápido.

No momento seguinte, Victor realizou o seu fetiche favorito. Mateus já estava mais do que acostumado a receber aquilo nas pré-liminares, e já tratou de retirar a camisa do Brasil, colocá-la de lado e levantar o braço esquerdo. Victor aproximou a boca da axila de Mateus e começou a lambê-la.

Passado vários minutos, Victor desceu para os mamilos. A pele pálida de Mateus era sempre gelada, e cada centímetro do seu corpo o excitava. A língua de Victor foi descendo pelo abdômen, passando do umbigo e chegando a trilha de pelos que levavam para dentro do samba-canção.

-Chupa – Falou Mateus mordiscando o lábio. Ele sempre parecia muito másculo fazendo aquilo.

Victor primeiramente apertou a ereção de Mateus por cima do tecido do seu short, fazendo o rapaz ficar muito excitado. Então sem avisar ele colocou o pênis de Mateus pra fora e começou a beijar a glande, enquanto usava os dedos para massagear os testículos.

-Ah... – Gemeu Mateus, com a voz grossa – Vitinho...

Mateus abaixou seu short até os pés e Victor continuou o sexo oral, dando mordidas na coxa branca do namorado uma vez ou outra. A pelagem escura ralava no rosto de Victor, quando ele engoliu o pênis de Mateus o mais profundamente que conseguia.

Após isso, Victor tirou toda sua roupa e se sentou no sofá, no colo de Mateus. O rapaz o abraçou por trás e ficou beijando seu pescoço e ombros, enquanto o masturbava na frente. O membro ereto de Mateus encostava-se à parte de trás de Victor.

-Meu magrelo... – Falou Mateus com uma risadinha no ouvido de Victor.

-Para, não gosto que me chame assim.

-É carinho bobão.

-Tá bom então.

-Me chupa mais, vai.

Victor se sentou no chão e voltou a chupar o membro de Mateus rapidamente, dando lambidas e masturbando-o uma vez ou outra. Mateus passou os dedos nos cabelos volumosos de Victor e pressionava sua cabeça para chupá-lo ainda mais profundamente.

-Chega, vem cá – Disse Mateus se ajeitando no sofá – Cavalga no meu pau.

Quando ele falava dessa maneira, Victor só ficava ainda mais excitado. Ainda mais por que Mateus tinha aquela carinha de garoto hetero e uma voz grossa e sensual. Victor fez exatamente o que ele pediu, sentando-se no seu colo e sentindo a penetração. Encaixando-se perfeitamente e começou a subir e descer.

Mateus encostou a cabeça no sofá, fechou os olhos e ficou sentindo. Nada era melhor do que transar com seu namorado em um inicio de noite chuvoso, após um decepcionante jogo da seleção brasileira. Ele segurava a cintura de Victor como se tivesse o controlando para “cavalgar” no seu membro.

Após um tempo, eles alteraram a posição. Victor se deitou esticado no sofá e com as costas pra cima. Mateus deitou-se em cima dele, voltando a penetrá-lo e dessa vez foi ele que se movimentou. Pressionando o corpo de Victor totalmente ele movia a cintura penetrando forte e ferozmente.

-Ah... – Gemeu Victor.

Mateus ficara concentrado, movendo-se o mais rápido que podia. Aquela posição o cansava um pouco, então ele parava por alguns segundos e já voltava.

Eles mudaram logo depois para a posição que geralmente faziam para terminar. Victor ficara de pernas abertas sentado no sofá e Mateus o penetrava. Enquanto o rapaz movia os quadris na penetração violenta, Victor se masturbava olhando para o namorado.

Em poucos minutos, Victor ejaculou com a própria masturbação e seu líquido espirrou no seu umbigo. Mateus continuou penetrando-o por mais um tempo, até que se retirou, agarrou o pau, masturbou-se e ejaculou no peito de Victor.

-Pronto – Falou Mateus.

-Valeu amor. Muito gostoso.

Mateus sorriu.

-Vou direto pro banho – Falou ele – Vem comigo?

-Claro.

Eles caminharam nus até o banheiro e dividiram o Box para uma ducha refrescante.


FIM.

Artigos Relacionados

0 comentários:

Postar um comentário